Conheça a ferramenta Postman

Se você é desenvolvedor ou tem interesse por esse universo, não pode deixar de conhecer a ferramenta Postman, afinal trazer agilidade e eficiência de forma simples e intuitiva faz parte do que todos buscamos para a evolução contínua.

Postman é uma plataforma colaborativa criada especialmente para APIs e que pode ser aplicada em diversos casos, como por exemplo, na automação de testes, na criação e melhora das APIs, em testes exploratórios e muito mais.

Ficou curioso para aprender mais sobre essa ferramenta? Então continue a leitura para se aprofundar!

 

O que é a ferramenta Postman?

Postman é uma ferramenta criada para testar e desenvolver APIs (Application Programming Interface). O grande diferencial é a interface mais limpa, que faz com que a usabilidade seja muito boa, proporcionando agilidade e eficiência no dia a dia do desenvolvedor.
Na prática, o Postman simula requisições HTTP e ainda permite que as mesmas sejam armazenadas para uso em outras ocasiões. Mas não é só isso. A ferramenta é capaz de dar suporte no que diz respeitos as documentações e testes requisitados ao trabalhar com APIs.

Além da facilidade de uso e da desenvoltura que superam as expectativas, os resultados apresentados também agradam bastante os usuários. Isso acontece devido a simplicidade com que as respostas são exibidas, permitindo entendimento pleno e diminuindo ainda mais o tempo gasto.

 

Quais são as principais aplicações da ferramenta Postman?

Agora que já entendemos o que é Postman, chegou a hora de conhecer em quais pontos é possível aplicá-la. Veja alguns a seguir:

  • Testes

Por meio das requisições HTTP é possível testar APIs e atingir resultados de forma simples e rápida.

  • Criação de ambientes colaborativos

No Postman é possível criar diversas coleções e ambientes, que podem ser compartilhados através de links diretos. Com isso, a repetição de testes será consideravelmente menor, otimizando o tempo.

  • Automatização de testes

Mais do que criar testes, o Postman permite que a rotina seja aprimorada a partir da iteração, principalmente no que diz respeito a testes repetitivos.

 

Por que aprender Postman?

Postman é uma ferramenta que vem ganhando cada vez mais espaço nas empresas. Atualmente já são 5 milhões de desenvolvedores usando o aplicativos em mais de 100.000 empresas ao redor do mundo.

Dentre as justificativas para esses números tão expressivos podemos citar o suporte para vários formatos de dados, como OpenAPI GrapQL e RAML; elevada acessibilidade, pois existe a versão gratuita; a possibilidade de qualquer tipo de chamada API (REST, SOAP e HTTP); além das vantagens que citamos anteriormente, como a interface intuitiva, otimização do tempo, integração em ambiente colaborativo, agilidade e eficiências nas rotinas.

Por tudo isso, Postman é uma das ferramentas que, se você ainda não conhece, vale a pena se aprofundar. Então, vamos a um breve tutorial para te introduzir nesse universo.

 

Como instalar o Postman

Mantendo a linha da acessibilidade, a ferramenta pode ser instalada em qualquer sistema operacional, seja Windows, Linux ou Mac.

A versão gratuita do Postman pode ser facilmente encontrada no site. Em poucos passo é possível fazer o download da versão nativa ou da extensão para o Google Chrome.

Se você busca uma versão mais completa, que inclui o trabalho com cookies, bult-in proxy, uma barra de menu completa, restrict readers e o Postman Console, opte pela versão nativa da ferramenta.

A instalação segue o protocolo básico de qualquer aplicativo.

 

Guia básico das funções do Postman

Assim que você finalizar a instalação e passar pela etapa de login, encontrará uma tela inicial com as seguintes funções:

  • Authorization: onde será possível informar o tipo de autenticação necessária e definir métodos.
  • Headers: onde é passado os Headers (cabeçalhos) da requisição, principalmente usado para passar o token de autenticação. Basta somente informar os campos key e value.
  • Body: onde é colocado o Body (corpo) da requisição. Essa aba somente é habilitada quando é usado tipos de requisições que permitem o envio de corpo, como por exemplo: o POST. O editor suporta os mais comuns formatos de encoding e a opção raw envia qualquer tipo de conteúdo, podendo escolher manualmente o content-type, como por exemplo o JSON, que serve para enviar objetos do tipo JSON.
  • Pre-request Script: são os scripts JavaScript para fins de teste que serão executados antes da requisição.
  • Tests: onde é possível realizar validações e testes na request do valor retornado.

(Fonte: Informações disponíveis no Blog Bsource. Acesse pelo link.)

 

Postman é uma ferramenta cada vez mais usada entre desenvolvedores, justamente pelas vantagens mencionadas aqui. A tendência é que suas aplicações cresçam cada vez mais, por isso, é fundamental conhecer o aplicativo e suas principais funções.

Deixe a seguir dúvidas e sugestões de conteúdo para o futuro! E sobre Postman, o que mais você gostaria de aprender?

E claro, para se manter sempre atualizado, fique ligado no blog e nas redes sociais da Auditeste. Até o próximo artigo!

CompartilharShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *
Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>