A importância do Outubro Rosa

Criada na década de 1990 nos Estados Unidos, a campanha Outubro Rosa é uma ação mundial que ocorre durante todo esse mês. Ela tem como objetivo conscientizar a população sobre a prevenção e o diagnóstico do câncer de mama.

Dessa forma, a importância do Outubro Rosa consiste no compartilhamento de informações sobre a prevenção dessa doença, uma vez que o câncer de mama acomete milhares de mulheres pelo mundo que não tiveram acesso ao diagnóstico precoce e ao seu tratamento.

 

A história do Outubro Rosa

Nos Estados Unidos, diversos estados realizavam ações sobre o câncer de mama ou campanhas de mamografia no mês de outubro. Mas foi a partir de um evento de corrida que esse panorama começou a ganhar mais notoriedade.

Promovido pela Fundação Susan G. Komen em 1990, na cidade de Nova York, o evento tinha como objetivo demonstrar a importância do conhecimento, do diagnóstico e do tratamento do câncer de mama.

Nessa corrida, intitulada “Corrida pela cura”, foram distribuídos aos participantes laços cor-de-rosa. Com esse ato, a fundação pretendia engajar a população na luta contra o câncer, disseminando informações.

A partir dessa corrida, o laço cor-de-rosa tornou-se o símbolo do movimento, e o mês de outubro começou a ter outros eventos com a mesma finalidade da corrida: o de conscientização e de diagnóstico do câncer de mama.

Foi pelo resultado obtido por meio desses eventos que se percebeu a importância da partilha de informações e de esclarecimentos sobre a doença, além de seu diagnóstico e de sua prevenção. Dessa maneira, ao longo dos anos, esse movimento se tornou uma ação mundial, cada vez com mais força e mais resultados, reduzindo mundialmente a taxa de mortalidade pelo câncer de mama.

 

O Outubro Rosa no Brasil

No Brasil, a primeira atividade referente ao Outubro Rosa aconteceu no ano de 2002, na cidade de São Paulo, onde iluminaram de rosa, por todo o mês de outubro, o Obelisco do Ibirapuera, monumento de forte importância para a história da cidade.

Os dados reforçam a importância desse movimento, pois, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil. Em 2019, foram relatados 59.700 novos casos, o que representa 29,5% dos cânceres em mulheres.

Por isso, é essencial que informações sobre riscos da doença e sua prevenção sejam divulgadas para a população do país. Assim como instruções sobre a realização de exames de rotina, como a mamografia e o autoexame.

 

O que é o câncer de mama?

O câncer de mama é uma doença que ocorre pela intensa multiplicação de células irregulares nas mamas. Com o aumento dessas células anormais, há a formação de tumores.

Esses tumores apresentam características próprias, como tamanhos e desenvolvimentos diferentes, e podem ser curados. Quanto mais precoce for a descoberta do câncer e o início do seu tratamento, maior a chance de cura. Também, quanto menor o tamanho do tumor, maiores as chances de cura, por isso a condição deve ser diagnosticada precocemente.

Não há uma causa para o aparecimento da doença. Ela pode ser ocasionada por pré-disposição genética, por obesidade, pela falta de exercícios físicos, pelo uso de hormônios, pela falta de amamentação ou pela gravidez depois dos 30 anos… Ou seja, não há como saber como a doença surge e quais são os motivos de seu aparecimento.

 

O diagnóstico precoce e a prevenção

A maneira mais simples de detectar possíveis alterações ou conferir se suas mamas estão normais é por meio do autoexame. Recomenda-se que ele seja feito todos os meses no quinto dia após a menstruação. É possível que, por meio desse exame, a mulher identifique nódulos endurecidos nas mamas ou nas axilas. A mulher também precisa ficar atenta a qualquer sinal de alteração ou assimetria em suas mamas, assim como alterações na cor do mamilo ou da mama e a presença de secreções rosadas, transparentes ou avermelhadas.

Ao perceber qualquer um dos sintomas mencionados, a mulher deve procurar um médico especialista com urgência. Dessa forma, ele poderá investigar o que de fato está acontecendo com a mama.

Outra forma de prevenção é a realização de mamografias. Recomenda-se que esse exame seja feito de dois em dois anos por mulheres mais jovens e em períodos de 6 meses a um ano por mulheres com mais de 50 anos, já que estas são as mais atingidas pela doença.

A chance de cura do câncer de mama é muito maior caso ele seja descoberto em sua fase inicial. Por isso, o diagnóstico precoce é fundamental.

CompartilharShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *
Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>