Parques tecnológicos no Brasil: conheça os principais!

Quando falamos em parques tecnológicos, o primeiro nome que vem na cabeça é o Vale do Silício, na Califórnia. É claro que os países orientais, como Japão, China e Coreia também não deixam a desejar nesse quesito.

Mas o que muitos ainda não conhecem é a quantidade de parques tecnológicos no Brasil. Na última divulgação do Ministério da Ciência, Inovação e Tecnologia (MCIT), registraram mais de 100 parques tecnológicos no Brasil, fora os que estão em desenvolvimento.

Com esse número expressivo, o Brasil tem se destacado cada vez mais na criação de novas tecnologias. Por isso, esse é o tema do artigo de hoje. Passaremos por uma breve introdução a respeito, e em seguida apresentaremos os principais parques tecnológicos do Brasil.

 

Parque tecnológico: indústrias, universidades e poder público criando um ambiente inovador

Um parque tecnológico reúnes as forças de três elementos muito importantes: indústrias, universidades e poder público. Esses agentes trabalham em sinergia para criar um ambiente inovador e tecnológico, que contribui positivamente para o desenvolvimento de melhorias para a sociedade.

Basicamente o que acontece é a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias no centros de estudo e universidades. Essas novidades são testadas nas indústrias, passam por correções até que se tornem competitivas no mercado.

Para manter esse ciclo funcionando, é preciso do apoio por parte do poder público, assim como da iniciativa privada para financiar as pesquisas.

Dentre as diversas possibilidades de áreas de atuação, destacam-se a tecnologia da informação, energia e biotecnologia.

 

Principais Parques tecnológicos no Brasil

Em referência ao maior parque tecnológico do mundo, o Brasil criou o que é conhecido como Vale do Silício Brasileiro, formado por 7 polos, como mostraremos a seguir:

 

  • Parque Tecnológico do Porto Digital – Recife

No estado de Pernambuco, esse polo reúne mais de 250 empresas de pequeno e médio porte. Responsável por movimentar boa parte da economia da região, Porto Digital tem faturamento anual de 1 bilhão de reais.

Desde 2020, esse parque tecnológico tem construído uma boa reputação, o que atraiu grandes nomes da indústria, como Microsoft, IBM e Samsung. A atuação é focada em tecnologia da informação (TI), comunicação e economia criativa.

 

  • Parque Tecnológico de San Pedro Valley – Belo Horizonte

Um dos parques tecnológicos de Minas Gerais, o San Pedro Valley conta com 200 startups, além de incubadoras, aceleradoras e um excelente espaço para coworking. Um dos destaques é o programa Seed que desenvolve mais de 80 empresas anualmente.

 

  • Parque Tecnológico do Rio de Janeiro

Um parque bastante diverso, localizado no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Os laboratórios e centros de pesquisa são ligados a 46 empresas, da capital carioca e de porte nacional. São desenvolvidas tecnologias relacionadas a vários setores, como meio ambiente, petróleo e TI.

Os projetos de empreendedorismo de alunos e docentes também têm ganhado destaque, principalmente devido a chegada de empresas pioneiras em novas metodologias, como o Design Thinking.

 

  • Parque Tecnológico do Vale da Eletrônica – Santana do Sapucaí

Outro parque tecnológico em Minas Gerais, o Vale da Eletrônica é voltado para o desenvolvimento de tecnologias relacionadas a informática. Diferentemente dos outros, esse polo está localizado em uma cidade pequena, porém com mais qualidade de vida, o que tem atraído incubadoras e aceleradoras.

A criação de um ambiente propício a inovação começou em 1959, com a criação do primeiro instituto de ensino técnico de eletrônica da América Latina. Desde então, mais de 150 empresas passaram por lá, o que gerou 3 bilhões de reais em produtos de tecnologia.

 

  • Parque Tecnológico de São José dos Campos

Esse parque tecnológico ganhou reconhecimento devido as tecnologias relacionadas ao setor aeronáutico. Por isso, empresas como a Embraer, Airbus e Boing são facilmente encontradas por lá.

Além disso, outras 300 empresas de outros setores estão recebendo apoio das aceleradoras e incubadoras. A região conta com a Fatec e a Unifesp, por isso setores como meio ambiente, energia e saúde são desenvolvidos nesse parque. Mas é claro, que quando se trata de aeronáutica e defesa, o ITA tem o maior destaque.

 

  • Parque Tecnológico Sapiens – Florianópolis

Florianópolis já foi considerada a segunda melhor cidade do Brasil para empreender, perdendo apenas para a capital paulista. Por mais que a ilha seja linda e muito propícia ao turismo, a atividade tecnológica supera os outros setores da economia.

As mais de 600 startups somam um faturamento anual que supera 1 bilhão de reais e têm uma taxa de crescimento surpreendente de 15% ao ano.

 

  • Parque Tecnológico TecnoPuc – Porto Alegre

Como o nome sugere, esse parque é administrado pela PUC. Com mais de 120 empresas de todos os portes, esse também é um polo diverso. Dentre as áreas de atuação estão biotecnologia, comunicações, eletroeletrônica, TI e indústria criativa.

Grandes empresas como a HP, Dell e Microsoft têm presença marcante nesse polo do sul brasileiro.

 

A saída de grandes empresas da capital paulista: um novo parque tecnológico?

Com o isolamento social para conter a pandemia de Covid-19, grandes empresas como a XP Inc., Google e Twitter pensam em tornar o home office parte da rotina corporativa.

Considerando essa mudança e os altos custos para manter escritórios em grandes centros comerciais, nasceu a ideia da Villa XP. Nos arredores de São Paulo, essa nova sede atuaria como um ponto de encontro para que equipes possam se reunir quando necessário. Além disso, o espaço permitiria a convivência de funcionários e familiares.

A ideia remete a outras empresas que moveram suas sedes para regiões afastadas de grandes centros, como aconteceu com a Apple e a Google nos EUA.

Será essa mais uma das tendências no mundo pós Covid-19?

 

Gostou de conhecer os parques tecnológicos que escolhemos mas queria ver os outros? Deixe aqui nos comentários para que possamos criar outro conteúdo a respeito!

CompartilharShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *
Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>