Entenda a importância dos testes de API

Vivemos na era digital, onde os avanços tecnológicos surpreendem a população a cada novidade divulgada. E, vemos cada vez mais interação e ligação entre um programa, ou um aplicativo, e outro. Isso acontece graças à API. No entanto, para ter certeza de que essa funcionalidade está correta, é preciso realizar testes de API.

Falando de um modo bem superficial e resumido, os testes em APIs são tão importantes quanto qualquer outro teste do meio de programação e desenvolvimento de softwares e programas. 

Para realmente entender a importância desses testes, é preciso primeiro entender o que é uma API, para que servem e quais são os diferentes tipos. Só assim será possível ter total compreensão da importância de certificar seu bom funcionamento.

E é justamente sobre isso que falamos neste post. Então, se você quer acabar com suas dúvidas, continue lendo este conteúdo até o final!

O que são testes de API?

Primeiro de tudo, vamos entender o que é uma API. Essa é a sigla em inglês para Application Programming Interface, que em português pode ser traduzida para Interface de Programação de Aplicativos. 

A API é uma espécie de conjunto de normas, ferramentas e protocolos que funcionam para que a integração entre diferentes serviços e aplicações aconteça de forma adequada. Diversos aplicativos usam API para, por exemplo, acessar a localização do usuário, ou ter acesso à câmera, entre outros.

Os testes de API têm como objetivo identificar problemas, bugs, impedimentos e comportamentos inadequados na integração. Durante os testes também é verificado se as APIs estão aptas para exercer suas funções dentro das expectativas de segurança, desempenho e confiabilidade.

Tipos de testes de API

Existem diversos tipos de testes de API, a escolha de qual usar vai depender do que exatamente precisa ser testado. Como, por exemplo, testar as funções e recursos. Ou testar a compatibilidade. Abaixo separamos alguns testes de APIs que existem. Confira!

  • Teste funcional: como o próprio nome diz, este teste serve para testar as funções na base do código. Para isso, são criadas situações para ver como a API responde;
  • Teste de carga: cria situações de pico para testar o desempenho da API em momentos de altas demandas;
  • Teste de confiabilidade: a API é testada dentro de um ambiente e período específico para monitorar por quanto tempo ela opera sem falhas;
  • Teste da IU: aqui, é testada a interface vinculada à API e não a API em si. Isso serve para dar uma visão geral da integridade e da usabilidade do aplicativo;
  • Teste de segurança: mais uma vez, o nome do teste já entrega seu objetivo. Neste teste é monitorada a segurança da API e identifica se existem brechas na segurança. Para isso é usado metodologia de criptografia, controle de acesso à API, entre outros;
  • Teste negativo: é testado o que acontece quando uma entrada inválida ou não intencional é executada no aplicativo. Assim, é possível criar respostas mais eficientes para essas situações;
  • Teste de validação: por fim, mas definitivamente não menos importante, este teste serve para garantir que a API está funcionando corretamente, como o esperado.

Importância desses testes

Agora que você já sabe o que é API e os tipos de testes que existem, chegou a hora de entender a importância deles. As APIs utilizam protocolos e linguagem não muito conhecidos pelas pessoas, por isso, é importante que os testes sejam realizados por especialistas qualificados.

A API está presente no nosso dia a dia muito além do que as pessoas imaginam. Segundo um relatório intitulado “State of the Internet“, da Akamai, 83% de todo o tráfego na web é representado por chamadas de API. Com todo esse importante papel no cotidiano das pessoas, é fundamental testá-las. 

Como as APIs podem ser testadas antes mesmo da interface do aplicativo estar pronta, os testes de API ajudam a reduzir os gastos com testes futuros, que demandam mais tempo e esforços da equipe.

Também auxilia em um lançamento mais rápido, isso porque, os testes de API são executados em menor tempo que os demais testes. Além disso, realizar esses testes garante um produto de qualidade e funcional.

Como testar?

Nenhum processo deve ser feito ou implementado sem um planejamento. E isso se aplica aos testes também. Por isso, o primeiro passo para realizar os testes de API é planejar cada etapa.

Sendo assim, determine os objetivos e siga a partir daí. Entenda os requisitos e o que precisa ser feito para atendê-los. Configurar o ambiente de testes também é fundamental, assim, os resultados obtidos com os testes serão mais precisos.

Saber escolher as ferramentas certas para realizar os testes também é parte importante do processo. Com isso, o processo de testar fica mais fácil e ágil. E, claro, é imprescindível saber quais os testes serão realizados.

Para escolher o teste a ser feito, é preciso ter o objetivo muito claro.

Boas práticas do testes de API

Para tornar os testes de API mais assertivos, simplificados, e também auxiliar o profissional nesse processo, existem algumas boas práticas recomendadas.

Como, por exemplo, documentar todo o processo. É fundamental ter uma documentação que especifique claramente cada campo e os parâmetros associados. Relatórios detalhados dos testes realizados também são ótimos. 

Assim, com os relatórios em mãos, os desenvolvedores garantem que todos os bugs e falhas encontrados durante os testes serão arrumados.

Para tornar o processo de testes mais fácil, comece testando as APIs menores e mais simples. Assim, conforme o grau de dificuldade e complexidade aumenta, o testador já terá mais familiaridade com os testes.
A Auditeste conta com uma equipe de especialistas e um know how nos mais diversos tipos de testes de software, incluindo os testes de API. Entre em contato e saiba como nossa equipe pode ajudar!

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Artigos relacionados

    PT