Tecnologia assistiva para inclusão de pessoas portadoras de deficiência no trabalho

A tecnologia assistiva é uma nova solução para tornar todos os processos nos canais físicos e digitais ainda mais democráticos, garantindo o acesso por parte das pessoas com diferentes tipos de deficiência.

Mesmo em pequenas, médias e grandes empresas, os atuais negócios já buscam práticas mais inclusivas. Assim, um colaborador com deficiência física ou intelectual se sente mais aceito e impacta positivamente a sociedade como um todo.

Indo além disso, essa adoção de práticas inclusivas ainda reflete em uma cultura organizacional mais pluralizada. Isto é, a empresa passa a aceitar novas perspectivas e explora todas as possibilidades de novos negócios.

Para explicar e falar ainda mais sobre a importância da tecnologia assistiva, a Auditeste preparou este artigo e reuniu os principais pontos para você entender melhor o assunto!

 

O que é tecnologia assistiva?

A tecnologia assistiva pode ser definida como soluções que garantam acessibilidade para pessoas com algum grau de deficiência física ou mental.

De acordo com o Comitê de Ajudas Técnicas (CAT), as tecnologias assistivas têm como principal característica ser formada por produtos, metodologias, práticas, serviços, estratégias e recursos que promovam acessibilidade e autonomia.

O CAT é o órgão responsável por representar as pessoas portadoras de deficiência em suas respectivas áreas de atuação, pressionando e divulgando novas práticas que podem ser adotadas por empresas e órgãos públicos.

Neste sentido, o CAT serve como o mais importante guia na hora de implementar novas soluções de inclusão social. Porém, o comitê é relativamente novo, estando ativo apenas desde 2016.

Em comparação direta com os Estados Unidos, país que criou o termo tecnologia assistiva, a Lei dos Americanos com Deficiência (ADA) institui requisitos mínimos para que haja inclusão de pessoas portadoras de deficiência.

Assim, todo estabelecimento comercial, conjuntos habitacionais, órgãos públicos, portos, entre outros exemplos, precisam seguir à risca as especificações de acessibilidade da lei. E isso tudo sendo que nos Estados Unidos, pouco mais de 19% têm algum tipo de deficiência, de acordo com o Census Bureau USA.

Ainda para fins de comparação, o Brasil conta com mais de 45 milhões de pessoas com ao menos uma deficiência, seja física ou intelectual. Isso equivale a 23,9% da população brasileira.

Desse universo de milhões, apenas 486 mil PPDs estão registradas em um posto de trabalho formal. Ainda assim, é importante destacar que há outras 7 milhões de PPDs que aguardam uma oportunidade no mercado de trabalho. Todos os dados de acordo com a última Relação Anual de Informações Sociais.

 

Tecnologias assistivas entre empresas

Atualmente, as tecnologias assistivas dentro do mundo empresarial focam em soluções digitais para que o colaborador se sinta acolhido e, principalmente, sem nenhuma barreira na hora de exercer seu cargo.

Justamente por isso, é importante ter uma diferenciação em mente: tecnologias assistivas físicas e digitais.

As tecnologias assistivas físicas são aquelas relacionadas às dificuldades enfrentadas por portadores de deficiências físicas. Sendo assim, rampas, pisos táteis e mobília ergonômica são algumas assistências que podem ser oferecidas aos PPDs.

Por outro lado, há as tecnologias assistivas digitais, que tornam o ambiente digital acessível para qualquer pessoa, independente do grau de deficiência. Entre alguns exemplos de tecnologias assistivas digitais estão audiodescrição e controle do tamanho de fonte.

 

Tecnologia assistiva para PPDs no trabalho

Utilizar a tecnologia assistiva para inclusão de pessoas com deficiência no trabalho é algo bem comum e muito recomendado para pequenas, médias e grandes empresas.

Isso porque os investimentos são mínimos e algumas mudanças não impactam positivamente apenas as PPDs, e sim todos os colaboradores do seu negócio, gerando uma cultura organizacional mais acolhedora e afetiva.

Para saber quais tecnologias assistivas usar dentro da sua empresa, veja abaixo os principais recursos e ferramentas que a Auditeste separou para você!

 

1. Mobiliário ergonômico e adaptado

A ergonomia trata do estudo para que não haja nenhuma penalidade ao colaborador na hora de exercer alguma função. Assim, mesmo pessoas que trabalham sentadas têm soluções ergonômicas para que não haja danos no futuro.

Ao ter um mobiliário ergonômico e adaptado para uma pessoa portadora de deficiência física, você garante que o funcionário não encontre nenhum tipo de dificuldade motora.

 

2. Controle de cor e fonte

PPDs de baixa visão ou diagnosticadas com daltonismo precisam de visões diferenciadas para ter leitura em sites e plataformas. Felizmente, há tecnologias assistivas muito úteis.

Esses recursos permitem aumentar e diminuir o tamanho da fonte e alterar a composição das cores para que haja leitura por parte do colaborador.

 

3. Software de leitura e descrição de conteúdo

Hoje em dia é possível anexar diferentes tipos de conteúdos e realizar a descrição para que toda pessoa tenha acesso. Indo além disso, ainda há softwares que realizam a leitura para os colaboradores.

Eles são bem úteis e estão cada vez mais popularizados entre os sites, ferramentas digitais e apps. Portanto, a sua implementação é rápida e dificilmente gera incomodo ao gestor.

Gostou do conteúdo ou quer saber mais sobre tecnologia assistiva? Então não deixe de escrever a sua opinião nos comentários!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *
Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>